Pensamento

" Não são os grandes planos que dão certos, são os pequenos detalhes" Stephen Kanitz

domingo, 26 de agosto de 2012

Energia elétrica gerada por ondas do mar no Brasil

video

Energia elétrica gerada por meios de ondas do mar.

Desenvolvida no Brasil a usina de geração de energia elétrica realizada através das ondas do mar, mostra que é possível obter essa energia de forma limpa, em um país onde a imensa costa possibilita muitas dessas usinas. O estado do Ceará tem aproveitado bastante o que a natureza lhe proporciona como ventos para geração de energia eólica, melhorando sempre a matriz energética do Brasil que possui um diversidade muito importante no contexto mundial. Todos esses passos sempre serão bem vindos junto a tecnologia que os acompanha, e dessa forma capacita cada vez mais o país no desenvolvimento dessas novas tecnologias. Essa usina piloto de Pecém desenvolvida em conjunto com empresas e centros de estudo e desenvolvimento brasileiros mostra-nos a capacidade criativa e tecnológica que possuímos. O filme é bem explicativo e nos mostra como esta energia é gerada e obtida.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012


Você sabia que os peixes que você come estão se alimentando de plástico?

Débora Spitzcovsky - 03/08/2012 às 09:00


Cada pessoa consome, em média, 16,3 kg de alimentos vindos do mar todos os anos. Se você é do time dos adoradores de polvo, camarão e peixe, entre outros animais marinhos que já caíram no gosto dos amantes da culinária, saiba que você pode estar ingerindo plástico junto com essas comidas.

Duvida? O infográfico Oceans of Garbage: why people are eating their own trash, produzido pelo site MastersDegree.net*, apontou que a ciência já tem registros de, pelo menos, 260 espécies marinhas que estão se alimentando do plástico que os seres humanos andam jogando nos oceanos.
Isso porque as garrafas PETsacolinhasfraldas e embalagens de comida –entre tantos outros resíduos plásticos que descartamos no oceano ou mesmo na praia, como se fossem se desintegrar entre uma onda e outra – vão parar em alto-mar e se decompõem em pequenos pedaços, que são confundidos pelos animais marinhos com plânctons. Os bichos, então, comem o nosso lixo plástico que, por ironia do destino, está voltando para o nosso estômago.
E mais: o infográfico revelou que até mesmo os animais marinhos que não comem o plástico podem acabar ingerindo o material por tabela. Isso porque esses bichos podem se alimentar de outros seres vivos que engoliram o plástico. É o caso dos pequenos peixes-lanterna, por exemplo: estudo que avaliou centenas de exemplares da espécie encontrou cerca de 83 fragmentos plásticos no estômago de cada um desses peixes, que são um dos alimentos preferidos dos atuns e dourados – que, por sua vez, são presenças constantes no nosso prato. Sentiu o drama?
Confira o infográfico Oceans of Garbage: why people are eating their own trash, em inglês. 
Foto: Reprodução/Oceans of Garbage
Fonte: Planeta Sustentável Abril

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

"Se os órgãos responsáveis por fiscalizar e penalizar esse tipo de atitude fossem mais eficazes, talvez os índices de derrubar o sinal seriam menores, fala-se muito mas pouco se faz, e dentro deste contexto a empresa ainda continua faturando bastante simplesmente na faixa de R$ 4,3 milhões"

07/08/2012-06h00

TIM derruba sinal de propósito, diz Anatel

ESTELITA HASS CARAZZAI
DE CURITIBA

Atualizado às 19h38.
Relatório da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) acusa a TIM de interromper de propósito chamadas feitas no plano Infinity, no qual o usuário é cobrado por ligação, e não por tempo.
A agência monitorou todas as ligações no período, em todo o Brasil, e comparou as quedas das ligações de usuários Infinity e "não Infinity".
Anatel quer obrigar operadoras a melhorar sinal de celular em estradas
Anatel promete ampliar fiscalização sobre banda larga fixa e móvel
Vice-presidente da TIM descarta derrubada intencional de ligações
A conclusão foi que a TIM "continua 'derrubando' de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity". O documento apontou índice de queda de ligações quatro vezes superior ao dos demais usuários no plano Infinity -que entrou em vigor em março de 2009 e atraiu milhares de clientes.
O relatório, feito entre março e maio, foi entregue ao Ministério Público do Paraná.
"Sob os pontos de vista técnico e lógico, não existe explicação para a assimetria da taxa de crescimento de desligamentos [quedas de ligações] entre duas modalidades de planos", diz o relatório.
O documento ainda faz um cálculo de quanto os usuários gastaram com as quedas de ligações em um dia: no dia 8 de março deste ano, afirma o relatório, a operadora "derrubou" 8,1 milhões de ligações, o que gerou faturamento extra de R$ 4,3 milhões.
Durante as investigações, a TIM relatou ao Ministério Público que a instabilidade de sinal era "pontual" e "momentânea".
A operadora citou dados fornecidos à Anatel para mostrar que houve redução, e não aumento, das quedas de chamadas -as informações, no entanto, foram contestadas no relatório da agência.
A Anatel afirma que a TIM adulterou a base de cálculos e excluiu do universo de ligações milhares de usuários com problemas, para informar à agência reguladora que seus indicadores estavam dentro do exigido.
A agência afirma, por exemplo, que a operadora considerou completadas ligações que não conseguiram linha e cujos usuários, depois, receberam mensagem de texto informando que o celular discado já estava disponível.
NOVA PROIBIÇÃO
Com base nos dados, o Ministério Público do Paraná pede a proibição de vendas de novos chips pela TIM no Estado, o ressarcimento de consumidores do plano Infinity no Paraná por gastos indevidos e o pagamento, pela empresa, de indenização por dano moral coletivo.
A TIM já havia sido suspensa no Estado no final de julho, quando a Anatel proibiu as vendas de novos planos das operadoras com maior índice de reclamação em cada Estado. Além do Paraná, onde o índice era de 26,1 reclamações a cada 100 mil clientes, a operadora obteve o pior resultado em 18 unidades federativas.
Editoria de arte/Folhapress

OUTRO LADO
A TIM afirmou que não foi notificada sobre a ação proposta pela Promotoria do Paraná, mas que "trabalha constantemente para melhoria e ampliação da rede".
A operadora informou que a rede do Paraná está sendo ampliada e modernizada, com a troca dos sistemas 2G e 3G até setembro de 2012, o que aumentaria a capacidade de rede em 60%.
A operadora questionou o fato de ser a única investigada, "embora os usuários de outras operadoras também estejam insatisfeitos".

Fonte: Folha de São Paulo